Usuários da APCC da Reserva cobram ações educativas para motoristas

Usuários da APCC da Reserva cobram ações educativas para motoristas

Segundo ciclistas, frequentemente carros furam os bloqueios feitos na Av. Lúcio Costa

De terça a quinta, das 4h às 5h30m, sete quilômetros da Avenida Lucio Costa, da Praia da Reserva até o início do Recreio, ficam bloqueados, dos dois lados, para o funcionamento da Área de Proteção ao Ciclismo de Competição (APCC). O trecho chegou a ser utilizado nas competições do esporte nos Jogos Olímpicos e, atualmente, beneficia mais de cem esportistas. Apesar do isolamento, porém, são frequentes os relatos de motoristas que furam as barreiras e cruzam a via em alta velocidade.

Preocupados com a segurança, os esportistas pedem uma campanha educativa para moradores e motoristas em geral, como explica o engenheiro Rodrigo Evangelho.

— São comuns as invasões à área da APCC, e um veículo em alta velocidade pode atingir diversos ciclistas de uma só vez. Também há muitos relatos de carteiradas, quando há agentes da CET-Rio ou da Guarda Municipal no bloqueio. Motoristas tentam intimidar os agentes — afirma.

Presidente da comissão de trânsito da OAB-Barra, o advogado Márcio Dias diz que, atualmente, o maior problema no local é a falta de educação dos motoristas. Até o início do mês, não havia policiamento, mas, a pedido do grupo, o 31º BPM tem patrulhado a APCC:

— Infelizmente, não há investimento do poder público na área de educação no trânsito. O motorista acha que pode fazer o que bem entender e não será punido.

Pelo Código de Trânsito Brasileiro, transpor bloqueio viário sem autorização é infração grave, punida com cinco pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 293,47.

 

Fonte: O Globo