Política de boa vizinhança-como se dar bem com o vizinho

Política de boa vizinhança: como se dar bem com o vizinho

Política de boa vizinhança-como se dar bem com o vizinho

Adotar simples ações no cotidiano fazem toda a diferença na relação com os vizinhos. Foto: iStock, Getty Images

Você se sente incomodado pelos vizinhos e geralmente tem algum problema de relacionamento com eles? Saiba que não é o único, pois muitas pessoas passam por isso no dia a dia. Nesse caso, a melhor opção para melhorar a convivência é investir na política de boa vizinhança.

Trata-se de adotar simples ações no cotidiano que fazem toda a diferença na relação com os vizinhos. Algumas atitudes tornam os dias mais agradáveis, sem que você fique irritado com quem mora ao lado de sua casa e vice-versa.

Dicas para uma política de boa vizinhança

É fato que as diferenças entre os vizinhos geram conflitos. Por isso, é primordial saber lidar com elas para não viver em pé de guerra com os outros. Para praticar a política de boa vizinhança, todos devem ter em mente que devem respeitar limites e opiniões distintas.

A grosseria é um dos principais fatores que geram brigas. Por isso, a fim de aprimorar a relação com os vizinhos, gestos de gentileza fazem toda a diferença. Isso não significa que você precisa se tornar amigo de todas as pessoas, mas manter a simpatia é essencial.

Se fizer isso, sem dúvidas, será mais fácil passar longe das desavenças. Uma possibilidade é recepcionar um vizinho novo: trata-se de uma forma de praticar a simpatia e ainda dar início a um bom relacionamento. A troca de pequenos favores também faz parte da política de boa vizinhança.

Além disso, respeite os limites. Música em volume alto, buzinas e barulhos durante o horário de silêncio, no caso de condomínios, devem ser evitados. A dica é simples: procure não fazer o que não gostaria que seu vizinho fizesse. Essa é uma maneira de adotar a política de boa vizinhança.

Outras atitudes deve ser evitadas: estacionar o carro na frente da garagem do vizinho e não coletar o lixo de forma adequada são exemplos. Se você mora em um condomínio, respeitar as regras é o primeiro passo para refrear desavenças, além de comparecer às reuniões.

Dificuldades em lidar com desavenças

Se mesmo adotando atitudes agradáveis no dia a dia você não conseguiu resolver as intrigas com os vizinhos, a alternativa é conversar de modo pacífico. Nessa hora, é essencial manter a calma para não gerar brigas. Caso você esteja incomodado com alguma situação, o ideal é expor seu ponto de vista, mas sem agredir o outro.

Demonstre tolerância, mesmo que esteja lembrando ao seu vizinho sobre o descumprimento de alguma regra de convivência. Lidar com um problema com diálogo é pré-requisito para resolver os conflitos. Colocando isso em prática, sem dúvidas, você terá mais chances de manter uma boa convivência com a vizinhança.

Origem do termo

Provavelmente, essa não é a primeira vez que ouviu falar em política de boa vizinhança. Mas você sabe como surgiu esse termo? Para isso, é preciso relembrar 1933. Foi naquele ano que o presidente dos Estados Unidos Franklin Delano Roosevelt criou essa estratégia de relacionamento com países da América Latina até 1945.

A política de boa vizinhança foi criada durante a Conferência Panamericana de Montevidéu. Com essa iniciativa, as práticas intervencionistas dos Estados Unidos com a América Latina foram abandonadas. Ao invés disso, iniciou-se uma negociação diplomática e colaborações econômica e militar entre os países.

Fonte: Doutíssima