Moradores pedem volta da polícia montada

policiamento montado

O bairro cresceu, a população aumentou . Só não cresceu o número de policiais e com o agravamento da crise econômica e a mobilidade urbana do Recreio com o fácil acesso através das vias largas e túnel da Grota Funda, vieram os assaltos e a violência. No mês de abril o bairro ganhou um projeto experimental de policiamento, a polícia montada, o RPMont que já operou por aqui há cerca de 25 anos atrás e os cavalos ficavam descansando no Parque Chico Mendes.

A população apoiou, deu um ar novo de segurança, a ligação com o animal aproximou e o 31º BPM aprovou a ideia também. No fim do mês passado a experiência chegou ao fim sem maiores explicações. A moradora Paula Aparecida Ribeiro, em entrevista ao RJ TV disse que caminhava tranquilamente pelas ruas sem maiores problemas e agora não pode mais.

Reinando Waisman foi mais além:

__Hoje tem academia sendo assaltada, vizinhos sequestrados, tiros em praça pública em plena luz do dia, um horror”, finaliza.

A Associação de Moradores se mobilizou e criou uma petição pública pedindo a volta do policiamento. Se quiser participar basta clicar http://www.peticaopublica.com.br.

Enviamos perguntas ao Tenente Coronel do 31º BPM, mas até o fim dessa edição não recebemos as respostas, são elas:

  1. Nas redes sociais existe um movimento de moradores apoiados pela Associação sobre o retorno do RPmont ao bairro, isso é viável?
  2. Eles alegam que pagam os custos da manutenção do efetivo da tropa e cavalos. Isso é possível ? Como seria feito esse rapasse caso ocorra?
  3. Esse policiamento a cavalo foi uma experiência, correto? Qual foi o resultado , se é que existe um relatório?

Os números do ISP no primeiro trimestre mostra um aumento nos crimes de letalidade violenta tiveram um aumento de 15,3%, em comparação ao mesmo mês de 2015, mas no Estado. Em março deste ano foram registrados 521 casos de letalidade violenta, que incluem o homicídio doloso, o latrocínio (quando há a intenção de matar), a lesão corporal seguida de morte e o homicídio decorrente de intervenção policial no estado do Rio de Janeiro, contra 452 casos anotados no mesmo mês do ano passado.

 

Fonte: Jornal do Recreio