Lagoinha das Taxas está tomada por gigogas, que proliferam com esgoto

Espelho d’água já havia sido limpo no fim do ano passado, por causa do mesmo problema

Lagoinha das Taxas

A Lagoinha das Taxas, no trecho atrás do Parque Chico Mendes. Foto: Fabio Rossi.

Problema crônico do Complexo Lagunar de Jacarepaguá, a proliferação de gigogas voltou a atingir a Lagoinha das Taxas, no Recreio. Após a remoção realizada no mesmo local entre junho e novembro do ano passado, a infestação recrudesceu em meados de março, segundo moradores, e piorou há um mês.

A origem do problema está no Canal das Taxas, que deságua na Lagoinha e sofre com o despejo de esgoto, o que propicia o ambiente ideal para as plantas. O biólogo Mario Moscatelli lamenta:

— Denuncio esta situação há pelo menos 20 anos. Enquanto tivermos crescimento desordenado sem saneamento básico não vai ter jeito. Todo ano é a mesma ladainha, com a proliferação de gigogas e o surgimento de condições propícias para a multiplicação de insetos. E os políticos dão as mesmas desculpas e não mudam nada.

Segundo o fundador do Movimento de Despoluição do Canal das Taxas, Antônio Melo, a limpeza das gigogas, feita no ano passado, durou pouco mais de três meses.

— Em março elas começaram a voltar, e há um mês o espelho d’água está totalmente tomado — diz Melo, que teve zika recentemente. — Voltamos a ter muitos mosquitos. Os moradores estão desesperados.

A Secretaria estadual de Ambiente informa que quatro ecobarreiras serão instaladas em rios que deságuam nas lagoas da Barra, a fim de conter o lixo e as gigogas.

 

Fonte: O Globo