Dez monumentos retratam personalidades e figuras ligadas à História na Barra e no Recreio

Dez monumentos retratam personalidades e figuras ligadas à História na Barra e no Recreio

 

Imortalizadas em bustos e estátuas, personalidades guardam a memória da cidade e do mundo

Dez monumentos retratam personalidades e figuras ligadas à História na Barra e no Recreio

d – d / Fábio rossi

RIO — Figuras importantes e de feitos notáveis no passado do Rio, do Brasil e mesmo do mundo dividem quase incógnitas as ruas com os transeuntes numa prova de que nem mesmo o tempo é capaz de apagar suas memórias quando se tem a História como aliada. Pessoas como o ambientalista Chico Mendes, o explorador de mares Américo Vespúcio, o santo São Francisco de Paula e até mesmo o ex-jogador de futebol Pelé durante uma disputa de bola hipotética com o imperador chinês Han Wu nos encarregam de mostrar que nem mesmo a existência é finda quando seu legado é digno de homenagem. São eles alguns dos presentes numa lista não muito extensa mas ainda assim representativa de dez personalidades históricas que mereceram ser retratadas e que hoje, presentes em ruas e praças da Barra e do Recreio, são mártires da resistência no que se refere a não sucumbir às ações de pichadores e vândalos.

Graças a rondas rotineiras de equipes da Secretaria de Conservação e Meio Ambiente, os bustos e estátuas da região estão em boas condições, tornando-se obras de potencial interesse de uma população cada vez mais consciente em manter sua memória. Pelo menos é nisso que aposta Vera Dias, responsável pela Gerência de Monumentos e Chafarizes do órgão.

— Os monumentos são ícones para as futuras gerações por serem de personalidades representativas e que produzem dois tipos de memória: a da pessoa e a da obra de arte. É uma tendência das cidades para louvar seus artistas. A estátua de Carlos Drummond de Andrade demonstra todo o potencial dessas peças. Elas, quando cativam o público, funcionam de chamariz para o mundo — explica Vera. — Eles vendem uma imagem poderosa por integrarem a paisagem a qual pertencem, potencializando o interesse no local.

A gerente, inclusive, mantém há seis anos o blog “As histórias dos monumentos do Rio de Janeiro”, que originou o site “Inventário dos monumentos do RJ”. É pelo aumento da audiência nas páginas, que fala exclusivamente das homenagens em pedra, bronze e outros materiais na cidade, que ela repara o aumento do interesse e da conscientização do público pelas artes ao ar livre.

— Hoje, mensalmente, recebemos cerca de dez mil visitas mensais. E me espanta ver que um terço desta audiência vem dos Estados Unidos e do Canadá. Ou seja, é algo que produz, sim, visibilidade — garante.
Por isso, O GLOBO-Barra listou e mostra as histórias de todas as personalidades retratadas na região.

 

Fonte: O GLOBO