Lei proibindo radares em áreas de risco é sancionada no Rio

Lei proibindo radares em áreas de risco é sancionada no Rio

Áreas com alto índice de violência terão pardais removidos

Lei proibindo radares em áreas de risco é sancionada no Rio

Radar na Av. Paulo de Frontin, no Rio Comprido, área com certa recorrência de confrontos armados Foto: Reprodução/Internet

Uma lei aprovada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) determina que os radares de velocidade, popularmente conhecidos como “pardais”, sejam retirados de áreas de risco do estado. A lei foi publicada no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira (16).

A proposta foi criada pelo deputado Dionísio Lins (PP), que considera áreas de risco as comunidades carentes com alto índice de violência e troca de tiros em vias urbanas. No projeto não há, ainda, o detalhamento de quais vias seriam estas.

De acordo com o autor, em algumas localidades, o condutor tem de escolher: “ou é roubado ou recebe multa”.

“Inúmeros casos são aqueles em que roubos são constantes em áreas de comunidades carentes, conhecidas pelos recorrentes conflitos armados e que se expandem para o asfalto. Com o intuito de evitar mais mortes de cidadãos inocentes, este projeto em nenhum momento incentiva o aumento de velocidade ou propõe o avanço de sinais de trânsito, muito pelo contrário, há de se notar que, áreas de risco são apenas aquelas em que não há como reduzir a velocidade em razão de tiroteios e arrastões”, argumenta Lins.

A lei determina também que os “pardais” já instalados sejam retirados gradualmente, sem qualquer custo aos cofres públicos. Portanto, se houver qualquer cláusula de rescisão com a empresa que instalou o equipamente, o radar não será removido.

 

Fonte: Notícias Band / Uol

Radar na Av. Paulo de Frontin, no Rio Comprido, área com certa recorrência de confrontos armados

Lei proibindo radares em áreas de risco é sancionada no Rio

Áreas com alto índice de violência terão pardais removidos

Radar na Av. Paulo de Frontin, no Rio Comprido, área com certa recorrência de confrontos armados

Radar na Av. Paulo de Frontin, no Rio Comprido, área com certa recorrência de confrontos armados. Foto: Reprodução/Internet

Uma lei aprovada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) determina que os radares de velocidade, popularmente conhecidos como “pardais”, sejam retirados de áreas de risco do estado. A lei foi publicada no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira (16).

A proposta foi criada pelo deputado Dionísio Lins (PP), que considera áreas de risco as comunidades carentes com alto índice de violência e troca de tiros em vias urbanas. No projeto não há, ainda, o detalhamento de quais vias seriam estas.

De acordo com o autor, em algumas localidades, o condutor tem de escolher: “ou é roubado ou recebe multa”.

“Inúmeros casos são aqueles em que roubos são constantes em áreas de comunidades carentes, conhecidas pelos recorrentes conflitos armados e que se expandem para o asfalto. Com o intuito de evitar mais mortes de cidadãos inocentes, este projeto em nenhum momento incentiva o aumento de velocidade ou propõe o avanço de sinais de trânsito, muito pelo contrário, há de se notar que, áreas de risco são apenas aquelas em que não há como reduzir a velocidade em razão de tiroteios e arrastões”, argumenta Lins.

A lei determina também que os “pardais” já instalados sejam retirados gradualmente, sem qualquer custo aos cofres públicos. Portanto, se houver qualquer cláusula de rescisão com a empresa que instalou o equipamente, o radar não será removido.

 

Fonte: Band/Uol

adoção

Mundo Pet: O que você precisa saber antes de adotar um pet

Adotar um animalzinho de estimação é um ato de muito amor e de muita responsabilidade

adoção

As feiras de adoção de animais estão se espalhando por todos os lugares. E esses dóceis amiguinhos precisam sim de um novo lar. Mas, antes de você escolher o seu no impulso, veja tudo o que precisa saber antes de tomar essa importante decisão. O pet – de qualquer tipo – requer cuidados, principalmente na adaptação ao novo lar. E despesas. Afinal, o tutor terá gastos com alimentação, vacinas e também com eventuais problemas de saúde que o mascote venha ter ao longo dos anos. “Muitos tomam a decisão de forma precipitada, sem analisar que a chegada desse novo membro a família traz mudanças na rotina e no bolso”, diz Jorge Morais, veterinário e fundador da rede Animal Place.

O especialista explica que quando optamos pela adoção de um animal de estimação temos que ter em mente que também estamos nos responsabilizando pelos cuidados ao longo de toda vida, ou seja, por aproximadamente 15 anos. “Não dá para descartar um pet quando não o queremos mais”, complementa. E, para evitar problemas futuros, alguns pontos devem ser levados em consideração antes da decisão. “Filhotes, por exemplo, precisam de mais paciência para educar e o novo dono deve estar preparados para isso. Outra dica importante é conhecer melhor o temperamento do animal para saber se ele vai se adaptar a rotina da nova família, já que alguns são mais enérgicos que outros”, ensina.

Feitas as devidas observações, o veterinário finaliza. “Apoiamos e estimulamos a adoção. Não se compra um amor incondicional. Adotar é tudo de bom e ajuda a minimizar o problema social e sanitário de abandono de pets, mas o novo tutor deve estar preparado para cuidar e amar durante todo o tempo de vida, na saúde e na doença, exatamente como em um casamento”.

Dicas de alimentação saudável

A comida adequada está diretamente relacionada ao bem-estar dos animais de estimação, por isso, é importante manter uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes necessários para o desenvolvimento do animal. Quem tem cachorro e gato dentro de casa, precisa ter um cuidado redobrado, pois cada um deles possui necessidades específicas. Além do mais, na hora de alimentar seu animalzinho, é necessário levar em consideração o tamanho e a idade dele.

Confira as dicas que separamos para te ajudar a manter seu animalzinho saudável e garantir que ele tenha muito tempo de vida!

Alimentação para filhotes – de 0 a 45 dias de vida, os bichinhos precisam ser alimentados exclusivamente com leite materno, mas caso não tenham o contato com a mãe, é necessário adquirir um leite substitutivo próprio para pets.

Após esse período, ofereça aos filhotes pequenas porções de ração específicas para essa idade e ricas em proteínas várias vezes ao dia, já que eles necessitam de muito mais energia do que os adultos. Durante essa fase, é importante levar o seu filhote constantemente ao veterinário para que a nutrição dele seja avaliada.

Alimentos para a fase adulta – com o amadurecimento, é necessário trocar a ração dos pets. Mas, no caso dos cachorros, a entrada para a vida adulta varia de acordo com o porte; os cães de raça pequena tendem a chegar na fase adulta mais rápido, em até 12 meses, enquanto os de raça grande chegam na fase adulta em até dois anos.

A nova alimentação também deve ser adquirida de acordo com o tamanho e as necessidades do seu pet. Caso você tenha gato e cachorro em casa, não dê a mesma ração para eles. Tenha em mente que ambos necessitam de nutrientes específicos. Os gatos, por exemplo, precisam de muito mais proteína do que os cães, enquanto os cães precisam de uma variação de nutrientes ricos em proteínas e carboidratos.

Evite trocar a ração do seu pet de uma vez, o ideal é ir misturando a ração antiga com a nova e diminuindo aos poucos a quantidade de ração antiga. Isso fará com que ele se adapte melhor.

Com o passar do tempo, o pet pode diminuir o interesse pelo alimento, o que significa que está na hora de trocar de ração. Muita gente quer agradar o seu animalzinho oferecendo alimentos para humanos, entretanto, isso pode causar uma série de complicações e interferir na nutrição deles. Portanto, antes de alimentar o seu bichinho, converse com o veterinário e veja quais são os tipos de alimentos mais indicados.

Alimentação para cães mais velhos – após os sete anos de vida, o mais indicado é que os bichinhos tenham uma alimentação com baixa caloria, rica em proteínas e em quantidade de carboidratos e com pouco sódio. Alimentos ricos em ômega-3 são ótimasopções para esse momento da vida dos pets, pois melhoram a articulação sanguínea.

​Fonte: Jornal da Barra

ônibus incediado-site

Ministério da Justiça anuncia reforço da Força Nacional na segurança do RJ

O governo federal reforçará o contingente da Força Nacional no Rio de Janeiro. A decisão foi tomada após os eventos ocorridos na terça-feira (2) nos quais vários ônibus foram queimados. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (3) pelo ministro da Justiça, Osmar Serraglio, após reunião com o presidente Michel Temer no Palácio do Planalto.

Segundo o ministro, Temer manifestou procupação em relação aos eventos no Rio de Janeiro, o que, segundo Serraglio, “provoca uma participação mais incisiva diretamente pela Presidência da República, ainda que segurança seja afeta ao estado”.

“O presidente solicitou que começássemos a formatar estrategicamente uma atuação mais aprofundada e eficaz”, disse o ministro. “O presidente ligou na nossa presença ao governador Pezão para que houvesse uma formalização da provocação. Ele foi atendido prontamente pelo governador, que se dispôs a encaminhar o pleito pelo fortalecimento da presença da Força Nacional”, acrescentou.

Serraglio disse que o estado do Rio já conta com 125 integrantes da Força Nacional. “Reforçaremos com mais 100 nesse primeiro momento. Há também pleito relativo à Polícia Rodoviária Federal, mas esse efetivo ainda será definido”, disse o minsitro ao comentar que autoridades locais têm identificado que algumas rodovias, em especial a Via Dutra, que liga o Rio a São Paulo, estão servindo de rota para o tráfico de drogas e armas, além de terem registrado assaltos a transporte de cargas.

A fim de fazer com que o governo federal ajude a “estrangular com mais força e eficiência” as organizações criminosas que estão atuando no estado e nessas rotas, o presidente Michel Temer designou o secretário nacional de Segurança Pública, general Santos Cruz, para viajar ao Rio de Janeiro e avaliar de perto a situação.

“Amanhã (4) o general irá ao Rio para identificar, junto às forças estaduais, onde a atividade de inteligência deve incidir em ações mais especificas. Imaginamos que, com a união de forças, inteligência e estratégias tenhamos resultado positivo”, disse Serraglio. “O Rio de Janeiro precisa dessa mão amiga, e o presidente a está cedendo”, acrescentou.

O general Santos Cruz disse que o apoio ao estado não se limita aos fatos ocorridos ontem. “[As ações] têm o objetivo não de resolver os problemas que aconteceram ontem, mas de implementar ações estruturantes que tenham como resultado permanência e a melhoria da segurança pública, bem como a manutenção do bem estar da população.”

 

Fonte: Portal de Notícias R7

poste no recreio

Postes no meio da Avenida Salvador Allende expõem motoristas a risco

Equipamentos são da Light, a quem a prefeitura já pediu realocação

poste no recreio

Cuidado! Um dos postes na faixa de rolamento da Salvador Allende – Foto de Leitor / Terceiro

No Recreio, enxergar um poste no meio da rua não é, necessariamente, um sinal de desobediência à Lei Seca. Passageiros e pedestres mais atentos até já repararam, mas são os motoristas que precisam tomar mais cuidado: na Avenida Salvador Allende, cinco postes estão dispostos no meio da rua, na faixa de rolamento, na altura da estação de BRT Olof Palme. Embora todos sejam novos, um deles já apresenta sinais claros de comprometimento, com um grande buraco no concreto que reveste a estrutura, possivelmente resultado de colisão.

Moradora do Recreio, a professora universitária Karen Almeida passa pelo local diariamente. Embora nunca tenha visto um acidente, já observou que os motoristas que passam pelo local têm modificado seus hábitos.

Nessa área eles reduzem a velocidade, porque sabem que há postes no meio da rua. O maior perigo mesmo é para quem não conhece a área e está passando por aqui ocasionalmente, até porque a iluminação é ruim, o que aumenta o risco de acidentes — afirma.

Responsável pela iluminação pública, a Rioluz informou que modernizou a iluminação do local, recentemente, mas promete realizar uma vistoria para verificar se há pontos apagados, com necessidade de manutenção. A empresa afirmou ainda que os postes citados são da Light. A concessionária, por sua vez, disse, por meio de nota, “que seguiu o projeto de instalação dos postes com base na solicitação do cliente, no caso, a Prefeitura do Rio de Janeiro. Para que os postes sejam realocados, o cliente precisa solicitar à concessionária e arcar com os custos da obra”.

Procurada, a Coordenadoria Geral de Projetos da Secretaria municipal de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação disse que o traçado da via sofreu alteração de projeto e que solicitou à concessionária a realocação dos postes.

Fonte: O Globo

 

fuzis apreendidos

‘Isso não é comum em nenhum país’, diz porta-voz da PM sobre criminalidade no RJ

fuzis apreendidos

O porta-voz da Polícia Militar, major Ivan Blaz, afirmou em entrevista à GloboNews que o cenário de violência encontrado pela corporação na manhã desta terça-feira (2) no Rio “não é comum em nenhum país do mundo”. De acordo com informações da PM, nove ônibus e um caminhão foram incendiados, 17 fuzis foram apreendidos e 26 pessoas presas.

“Não posso dizer que a missão é fácil, a missão é muito complexa. Estamos verificando algo que não é natural. Foi uma ocorrência com 17 fuzis apreendidos, isso não é comum em nenhum país do mundo. É uma cidade que teoricamente não está em guerra, mas estamos atuando sim”, afirmou Blaz.
Nesta terça-feira (2), pessoas atearam fogo em três ônibus na Rodovia Washington Luis, na altura dos acessos da Linha Vermelha e da Avenida Brasil, sentido Juiz de Fora; outros quatro ônibus e um caminhão na Avenida Brasil; e um ônibus na Rua Itabira, com Bulhões Marcial, em Cordovil, em um dos acessos à comunidade da Cidade Alta.

ônibus incediado-site

Equipes do Corpo de Bombeiros foram encaminhadas para o local para tentar conter as chamas. Devido aos ataques, motoristas tentaram voltar na contramão e passageiros de outros coletivos que passavam na região ficaram em pânico. Algumas ruas do bairro ficaram sem luz.

Os ataques seriam reflexo de um confronto na Comunidade Cidade Alta, em Cordovil, na Zona Norte do Rio, desde as primeiras horas desta terça (2). De acordo com a PM, a Cidade Alta foi alvo de uma invasão por traficantes de uma comunidade rival e a polícia realiza uma operação na comunidade.

“Tivemos uma tentativa de ataque de uma facção rival a facção que opera na Cidade Alta, tivemos um grupo invasor nesta região. A polícia foi demandada por conta de solicitação de moradores, para que pudéssemos garantir segurança e estabilizar o terreno. Uma vez encurralados, os criminosos acionaram forças auxiliares, moradores de outras comunidades, para que promovessem atos de baderna e terror. Por conta disso, estamos vendo ônibus incendiado em Duque de Caxias, na comunidade da Maré e outras comunidades ao longo da Avenida Brasil. Isso é uma tentativa de dispersar o policiamento para que o grupo criminosos encurralado na Cidade Alta possam sair”, afirmou o porta-voz da PM.

Fonte: Portal de Notícias G1