Falsos professores

Falsos professores são levados à delegacia dando aulas em praias

Falsos professores

Foto: Jornal O Dia

Pelo menos 27 irregularidades em atividades de Educação Física foram flagradas nas orlas do Rio durante a Operação Lost. O Conselho Regional de Educação Física da 1ª Região percorreu 128 locais em busca de professores sem licença e de empresas em situação ilegal.

Duas pessoas foram encaminhadas para delegacias: a 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes) e a 81ª DP (Itaipu). A dupla não tinha o diploma superior em Educação Física, necessário para a licença. “Eram leigos, que sequer estavam cursando a faculdade”, revelou a supervisora da operação, Giovanna Pereira.

Conselho de Educação Física fez fiscalização nas orlas do Rio e Niterói

A maioria das irregularidades foi encontrada em atividades de treinamento funcional (15) e futevôlei (6). Em 17 das vezes, não havia responsável técnico no local. Os casos serão encaminhados ao Ministério Público. A operação segue até o fim do mês.

O ortopedista do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) Eduardo Branco explica que exercitar-se sem a supervisão de um profissional pode causar lesões cardiovasculares e nas articulações. “Todo gesto esportivo tem uma prática adequada, que só um profissional pode recomendar. Além disso, ele monta sua série de acordo com as restrições apontadas pelo médico”, disse.

 

Fonte: Jornal de Turismo

Ponte Canal das taxas

Interditada, ponte do Canal das Taxas isola da praia os moradores do Recreio

Prefeitura prometeu entrega em dezembro de 2016, mas as obras sequer começaram

Ponte Canal das taxas

Foto: Bárbara Lopes / Agência O Globo

Em abril do ano passado, a prefeitura interditou a passarela do Canal das Taxas que fica na altura da Rua Clóvis Salgado, mais conhecida como Ponte do Jacaré, devido ao mau estado de conservação. Removeu o assoalho, que colocava em risco a segurança dos pedestres, e prometeu entregar um novo equipamento até dezembro. Mas, apesar de já estar licitada desde setembro, a obra não começou.

Desde a interdição da ponte, que tem 15 metros de extensão, moradores e frequentadores da Praia do Recreio precisam caminhar quase um quilômetro pelas ruas Clóvis Salgado e Gláucio Gill até a orla.

Vencedora da licitação realizada em setembro passado para a construção desta passarela e de outra em frente à Rua Raul Amaro Nim Ferreira, orçadas conjuntamente em R$ 1,2 milhão, a CD Empreendimentos afirma aguardar o empenho dos recursos para iniciar a obra. A empresa precisa também de um memorando de autorização emitido pelo município, explica o sócio Luiz Dias.

— Estamos na dependência dos recursos e do documento para iniciar a construção das passarelas, que terão piso de concreto e estrutura metálica. Quando tivermos isso, poderemos iniciar as obras no dia seguinte — afirma.

O morador Júlio Maurício de Almeida cobra uma solução ainda para este verão:

— É nesta época que a procura pela praia é maior. Mesmo a ponte estando sem assoalho, há quem atravesse pelo que restou dela, correndo o risco de virar comida para jacarés.

Por meio de nota, o secretário municipal de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação, Indio da Costa, informa que todos os contratos assinados no governo anterior estão sendo revistos, com o objetivo de reduzir custos, e, “a expectativa é que, até o dia 30, tenha-se uma visão mais clara da situação para iniciar as operações emergenciais”. Segundo ele, as reformas das duas passarelas sobre o Canal das Taxas está entre as prioridades.

Fonte: O Globo

centro de monitoramento da Barra

Visita ao Centro de Monitoramento da Barra da Tijuca

Ontem o presidente da Associação, William Nogueira, juntamente com a representante da ACIR, Fatima Salles, visitaram o centro de monitoramento montado na Barra da Tijuca pela iniciativa privada. Atualmente, o centro de monitoramento já funciona e repassa informações relevantes sobre a segurança na região. A Associação pretende integrar as câmeras de Barra Bonita após estudo de viabilidade.

 centro de monitoramento da Barra
vila olimpica recreio

Recreio dos Bandeirantes pode ganhar a primeira vila olímpica

Proposta para alterar o status do Centro Esportivo Waldir Pereira aguarda parecer da prefeitura

vila olimpica recreio

Fechado: centro esportivo não tem atividades desde 15 de dezembro – Analice Paron / Agência O Globo

Durante a transição da administração municipal, a equipe do prefeito Marcelo Crivella recebeu do vereador Carlo Caiado (DEM) uma carta aberta com a proposta de transformar o Centro Esportivo Waldir Pereira, no Recreio, em uma Vila Olímpica. O espaço está fechado desde o dia 15 de dezembro, devido à suspensão do contrato com a organização social que a administrava. Treze das 22 vilas olímpicas da cidade vivem situação semelhante.

A medida beneficiaria, de imediato, as cerca de 1.400 pessoas que participavam de atividades físicas no local até que ele fechasse. E essa seria a única vila olímpica de Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes. De acordo com Caiado, a medida geraria investimentos como a reforma dos espaços do equipamento e maior autonomia administrativa e orçamentária.

— A vila olímpica tem orçamento próprio, o que permite ao gestor resolver os problemas e tomar decisões com maior agilidade. Até agora, qualquer problema tinha que ser avaliado pela Secretaria municipal de Esporte e Lazer, em um processo muito mais lento. Eu já encaminhei uma proposta, um projeto base. Se a prefeitura quiser realmente fazer isso, é só o prefeito assinar a proposta que ela já vai para a Câmara dos Vereadores — afirma.

Atualmente, o centro esportivo conta com salas de lutas, onde eram ministradas aulas de judô e jiu-jítsu; uma quadra poliesportiva; e três campos de grama sintética.

A Secretaria municipal de Educação, Esportes e Lazer informou que seu titular, César Benjamin, no cargo há uma semana, avaliará a proposta e reunirá a equipe para analisar a situação das vilas olímpicas.

Fonte: O Globo

Pedágio da Transolímpica

Pedágio da Transolímpica sofre reajuste

Pedágio da Transolímpica

Foto: Carro passa pela praça de pedágio da Transolímpica – Guilherme Leporace – 29/08/2016 / Agência O Globo .

Os motoristas que trafegam pela Transolímpica, via de ligação entre Deodoro e Recreio, na Zona Oeste, terão que desembolsar 70 centavos a mais no valor do pedágio. O pedágio passou de R$ 5,90 para R$ 6,60. O reajuste é fruto de uma briga judicial entre a concessionária Via Rio e a administração municipal. Desde que a via foi inaugurada, em julho, a concessionária ViaRio propôs que fosse cobrada uma tarifa entre R$ 6,50 ou R$ 6,60. Na ocasião, concessionária e prefeitura entraram em um impasse, já que a Secretaria Municipal de Transportes queria que o valor cobrado fosse o mesmo do pedágio da Linha Amarela.

 

Fonte: Jornal da Barra

campanha praia limpa

Comlurb esquenta o verão com a Campanha #Praia Limpa

campanha praia limpa

 

Começou da Comlurb #Praia Limpa para o Verão 2017, no mesmo local do block letter, blocos de madeira flexível e tratada, com 4,6 metros de largura, 1,5 de altura e 50 cm de comprimento, com a hashtag do projeto, instalado no Arpoador. Renato Sorriso e o grupo Chegando de Surpresa estão por lá, com muita música e alegria, para animar o evento, que conta também com joguinhos infantis para as crianças se divertirem durante o evento, distribuição de camisetas, bonés, e sacolinhas para o descarte correto dos resíduos e para estimular a participação dos banhistas.

A intenção da campanha é incentivar as pessoas a fotografar, compartilhar e participar, por meio de atitudes corretas da manutenção da limpeza, que é uma responsabilidade da Comlurb com a população. A operação de limpeza no verão é intensificada, com 620 garis ao longo de todo o dia catando lixo e esvaziando os contêineres, e disponibilizadas 3.000 lixeiras laranja na faixa de areia para facilitar o descarte correto.

Nesta nova edição da campanha a Comlurb pretende consolidar o bom comportamento dos banhistas, depois que as pesquisas apontaram uma percepção de melhoria, reforçando a conscientização; ampliar a participação efetiva dos barraqueiros e chamar a população para divulgar a campanha nas redes sociais, e assim fazer com que essa ideia se multiplique. Praia Limpa conta também com a parceria do RioÔnibus, LAMSA e CET-Rio ampliando a divulgação da campanha. Além do block letter do Arpoador, outros três já foram instalados no Leme, na Barra da Tijuca e no Pontal do Recreio e também terão as ações de conscientização durante a semana.

O conceito #praialimpa conduz e permeia todas as peças e ações, estimulando a todos a tomarem as atitudes corretas, além de transformar cada um em agente de divulgação.

Praia Limpa

O Praia Limpa, iniciado em 2013, foi evoluindo nos anos seguintes e se tornou um sucesso no verão de 2016, com a aprovação e colaboração da população, depois da limpeza permanente das praias, maior número de contêineres disponíveis para a população e a ampliação das ações de conscientização. A proporção de lixo jogado no chão passou a ser de 30% e de 70% dos resíduos descartados nos contêineres, uma verdadeira inversão do que acontecia até então.

Houve melhoria da percepção de limpeza das praias e da imagem da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro perante a sociedade e os turistas. Durante a estação mais quente do ano, são 620 garis trabalhando em três turnos, 3.000 contêineres na orla do Leme ao Pontal, além dos dispostos nos quiosques. Em 2014 passou a contar com a participação do Programa Lixo Zero, multando quem descartava seu lixo incorretamente.

E em 2016 teve a adesão de artistas e atletas como Evandro Mesquita, Antônio Calloni, Kadu Moliterno, Rico de Souza e Giovane Gávio, que literalmente vestiram a camisa da Praia Limpa e incentivar a população sobre a importância do descarte correto do lixo. Os resultados da operação foram areia e calçadas mais limpas ao final de um dia de praia.

 

Fonte: Jornal da Barra

Estação de Tratamento do Guandu Foto-Antonio Scorza-12-11-2014

Cedae pede economia de água após raio causar curto-circuito em estação do Guandu

Estação de Tratamento do Guandu Foto-Antonio Scorza-12-11-2014

Estação de Tratamento do Guandu Foto: Antonio Scorza/12-11-2014

A estação de tragamento de água do Guandu entrou em curto-circuito após um transformador ser atingido por um raio, na noite desta terça-feira, de acordo com a assessoria de imprensa da Cedae. Segundo a companhia, o problema foi solucionado e o fornecimento de água será normalizado ao longo desta quarta-feira. Enquanto isso, a companhia pede que a população “utilize de forma consciente a água armazenada nas caixas d’água ou cisternas”.

Nas redes sociais, há relatos de falta de água e pressão reduzida em bairros como Campo Grande, Irajá, Vila Valqueire e Jardim Sulacap, além de cidades da Baixada Fluminense como Nilópolis, Nova Iguaçu e Caxias.

Em nota, a Cedae diz que até o restabelecimento total do serviço, a população poderá “notar a pressão reduzida na rede”. A companhia afirma ainda que “em algumas áreas isoladas (pontas de sistema) e regiões mais altas, a normalização do fornecimento de água poderá levar até 48 horas”.

 

Fonte: Jornal Extra