prainha

Indicação legislativa pede portais de acesso à Prainha

Associação argumenta que portões poderiam melhorar condições da APA

prainha

Controle. Avenida Estado da Guanabara, onde ficaria um dos portais – Guilherme Leporace / Agência O Globo

Única praia do Rio de Janeiro com o selo Bandeira Azul, certificação internacional de respeito ao meio ambiente, a Prainha pode ter o acesso controlado. O pleito antigo de um grupo de usuários, apoiado pela Associação de Surfistas e Amigos da Prainha (Asap), ganhou força graças a uma indicação legislativa feita pelo vereador Carlo Caiado (DEM) à Secretaria municipal de Meio Ambiente. O objetivo é a criação de portões de controle de acesso ao Parque Natural Municipal da Prainha e ao Parque Natural Municipal de Grumari.

— Precisamos de um controle maior da entrada de carros e caminhões — afirma Alexandre Jacques, vice-presidente da Asap. — A ideia é que aqui seja como um parque, mesmo, como o Parque da Tijuca, que tem hora para abrir e fechar.

De acordo com ele, além de um simples controle de fluxo, que favoreceria a segurança, a construção dos portões ajudaria a evitar obras irregulares na região.

— Uma preocupação é a entrada da caminhões com material de construção durante a noite — diz Jacques.

Em sua indicação, Caiado destaca que os portais já foram aprovados pelo Conselho Consultivo dos Parques Naturais Municipais e também pelos planos de manejo das duas unidades de conservação.

Em Grumari, a sugestão é que o portão fique na Estrada de Grumari, próximo ao restaurante Point de Grumari. Já o portal de acesso à Prainha seria instalado na Avenida Estado da Guanabara, cerca de 800 metros após a entrada do condomínio Maramar.

 

Fonte: O Globo

Clínica Escola IBMR oferece serviços de saúde gratuitos na Zona Sul e na Barra

Clínica Escola IBMR oferece serviços de saúde gratuitos na Zona Sul e na Barra

O espaço tem desde nutrição até psicologia

Clínica Escola IBMR oferece serviços de saúde gratuitos na Zona Sul e na Barra
A Clínica Escola oferece atendimento, avaliação e pesquisa em Ciências da Saúde, nas áreas de Psicologia, Nutrição, Estética, Biomedicina, Enfermagem, Educação Física e Fisioterapia, mediante agendamento prévio (nos telefones 21 2557-0001, ramal 1385 na unidade Catete; e 21 3544-1187, na unidade Barra). Os alunos realizam, sob supervisão de profissionais da área, atendimentos humanizados e personalizados em instalações modernas e confortáveis, pondo em prática todo o conteúdo produzido e aprendido em sala de aula. O projeto completa dois anos de atividades de portas abertas para atendimentos gratuitos na área de saúde.

O sucesso da Clínica Escola, com unidades no Catete e na Barra da Tijuca, pode ser traduzido em números: Somente em 2015, foram atendidos mais de 1.200 pacientes e realizados 12,5 mil atendimentos inteiramente gratuitos para pacientes de todas as idades da região da Zona Sul – principalmente nos bairros do Flamengo, Botafogo, Laranjeiras, Catete e Glória – e da Barra da Tijuca. Para mais informações sobre agendamento e serviços disponíveis nas duas unidades da Clínica Escola, acesse o site do Centro Universitário www.ibmr.br.

Responsabilidade social e atendimento externo na Zona Sul

Além dos serviços internos, a Clínica Escola do Catete desempenha três grandes projetos sociais em comunidades da Zona Sul. O objetivo é agregar projetos externos aos atendimentos da Clínica Escola, ampliando as ações responsabilidade social e levando bem-estar e cuidados de saúde às comunidades atendidas. Assim, estudantes e professores transformam técnica e conhecimento em ações, tornando o IBMR um importante centro de serviço de saúde para a população de comunidades carentes da região.

Serviço:
Clínica Escola IBMR
Atendimento: Gratuito
Horário: De segunda a sexta-feira, das 7h às 21h30
Campus Barra da Tijuca – Avenida das Américas, 2603 – Barra da Tijuca, RJ
Contato para agendamento de consultas: (21) 3544-1187
Campus Catete: Rua Corrêa Dutra 133 – Catete
Contato para agendamento de consultas: 21 2557-0001 ramal: 1385

Fonte: Aib News

Câmara Comunitária do Recreio

Câmara Comunitária do Recreio cria projeto para quadras subutilizadas

Órgão tem buscado parcerias para gerar atividades no local

Câmara Comunitária do Recreio2

Ionara em uma das quadras, que fica vazia durante a maior parte do dia – Fabio Rossi / Agência O Globo

Professora aposentada, Ionara Cassinelli trabalhou durante anos com projetos de assistência social na região do Terreirão, no Recreio. Ela lembra de um tempo em que as duas quadras na esquina das ruas Teotônio Vilela e 8W estavam sempre cheias, recebendo crianças da creche municipal que funcionava em um terreno vizinho. Com o fechamento da instituição e a posterior cessão de sua sede para abrigar idosos, o espaço acabou subutilizado.

— Ali havia muitos projetos para ocupar crianças fora do horário de aula. Futebol, artesanato — conta ela.

De acordo com Ionara, as quadras não são usadas pelos idosos. A Câmara Comunitária do Recreio dos Bandeirantes, Vargens e Adjacências, da qual ela é diretora social, tem buscado parcerias para gerar atividades ali:

— Os idosos usam só a parte da frente do imóvel. Nenhum deles vai até as quadras, que ficaram largadas. Há pouco tempo conseguimos um acordo com a Igreja Batista para tentar arrumar o espaço e desenvolver projetos sociais ali. Pensamos também numa festa junina. Queremos botar essas coisas em prática, mas precisamos de autorização.

De acordo com ela, a prefeitura não teria dado aval ao projeto. A Secretaria municipal de Desenvolvimento Social, por sua vez, afirma que as quadras são utilizadas para eventos esportivos dos moradores da região e que não recebeu qualquer outra solicitação de uso.

O presidente da Câmara Comunitária, William Nogueira, reconhece que pediu autorização ao órgão errado:

— Não sabíamos que era com esta secretaria. Vamos entrar em contato com ela.

Fonte: O Globo

O ator Rodrigo Candelot, de “Tropa de elite 2”, dá aula de interpretação para TV e cinema - Barbara Lopes / Agência O Globo

Escola de atores chega ao Recreio com vagas para bolsistas e teatro

Depois de 13 anos em Botafogo, Academia Nacional de Atores desembarca na Zona Oeste.

 

O ator Rodrigo Candelot, de “Tropa de elite 2”, dá aula de interpretação para TV e cinema – Barbara Lopes / Agência O Globo

A escassez de equipamentos culturais no Recreio, principalmente aqueles voltados para as artes cênicas, promete ser atenuada com a chegada ao bairro da Academia Nacional de Atores, tradicional escola especializada em aulas de interpretação para TV, teatro e cinema. Depois de funcionar durante 13 anos em Botafogo, a instituição desembarca na Zona Oeste com parte das vagas destinadas a bolsistas e planos ousados que incluem a abertura de um teatro experimental.

Em abril começam os cursos regulares, mas já estão sendo oferecidas aulas livres. Segundo o ator Wallace Meirelles, diretor artístico da instituição, a escolha do novo bairro representa uma tentativa de descentralizar a educação artística, condensada por muito tempo na Zona Sul, e aumentar a oferta de espetáculos teatrais na região.

— Vamos inaugurar em maio um teatro de arena, de caráter experimental, onde vamos apresentar ao público peças ensaiadas pelos nossos alunos e por grupos de fora. Como morador do Recreio, posso atestar que o bairro é muito disperso e carente de teatro. Queremos mudar essa realidade.

Ao todo, a academia oferece 14 cursos, alguns deles ministrados por nomes conhecidos do público, como o ator Rodrigo Candelot, que interpretou o coronel Formoso em “Tropa de elite 2”. Aos sábados, Candelot reserva duas horas e meia do dia para dar aulas de interpretação em televisão e cinema. O corpo docente da academia — formado por 13 professores — também inclui a atriz Patrícia Oliveira, de 41 anos, responsável pela preparação corporal de elenco de diversos trabalhos na TV e no cinema, entre eles a minissérie “Maysa” e a novela “Viver a vida”, da TV Globo.

— A região é carente de eventos culturais, mas não de pessoas que querem cultura. Pretendemos fomentar um novo polo de arte, para que as pessoas daqui não precisem ir até o outro lado da cidade — enfatiza a atriz.

O ator Vitor Thiré, escalado para a próxima novela das 23h da TV Globo, “Liberdade, liberdade”, começa a ministrar a partir do mês que vem aulas de improvisação. E Maurício Silveira dá aulas de teatro para iniciantes, num curso de nove meses.
Cientes da importância da inclusão social pela cultura, a Academia Nacional de Atores disponibiliza 10% das vagas de cada curso para bolsistas. A ação visa principalmente os moradores do Terreirão. Todos os alunos matriculados, sem exceção, fazem teste de nivelamento.

Escola de atores 1

Apesar da metodologia focar na carreira artística, as aulas de interpretação vêm atraindo um público diversificado. Para a arquiteta de formação, Rita de Cássia, de 62 anos, elas são uma forma de sair da rotina de dona de casa, esposa e mãe.

— Estava passando por um período difícil quando me deparei com a placa. Atravessei a rua e me inscrevi. Resolvi fazer teatro para me descobrir. Desde então, eu me sinto mais alegre, firme e disciplinada — revela a dona de casa, que em breve estreará em um espetáculo ensaiado na escola.

Fonte: O Globo

ModeloComunicado-capa.fw

Comunicação de Serviço

Comunicado

capa dia da mulher.fw

Dia Internacional da Mulher

20160308_maes Barra Bonitafw

ModeloComunicado-capa.fw

Comunicado de Segurança

ModeloComunicado- atualizado

Ônibus em Barra Bonita

Problemas com ônibus

Ônibus em Barra Bonita

ônibus estacionados no estacionamento do shopping – Fabio Rossi / Agência O Globo/16-2-2016

Os moradores do Barra Bonita também temem perder a tranquilidade desfrutada até aqui. Há duas semanas, um projeto idealizado para dar conforto e melhorar o serviço dos ônibus expressos Recreio-Centro trouxe-lhes, em vez disso, dor de cabeça. Por iniciativa do Shopping Recreio, o ponto final da linha executiva foi transferido da Rua Guiomar Novaes para o estacionamento do centro comercial, onde seria feito um novo terminal, com salas climatizadas e televisões. A mudança, porém, implicou também num novo trajeto, e os veículos passaram a transitar por dentro do condomínio. Após muitas reclamações, os ônibus deixaram de circular pelo Barra Bonita e voltaram ao ponto original, no Recreio. Mas seu trajeto definitivo ainda está em discussão.

— Foi uma negociação entre o shopping e a empresa de ônibus, com autorização da Secretaria municipal de Transportes. Mas o que seria uma vantagem, trazer o ônibus para mais perto, tornou-se um problema. Os veículos entravam pela José Luiz Ferraz (rua pública dentro do condomínio) e acessavam o estacionamento do shopping por um portão para caminhões — explica William Nogueira, presidente da Associação de Moradores do Barra Bonita, para quem o shopping não cumpriu integralmente sua parte no acordo. — O combinado era ter só dois ônibus de cada vez estacionados aqui. Mas às vezes ficavam cinco, seis. As ruas internas são estreitas; isso atrapalhava o trânsito. Fora o barulho.

O percurso por dentro do condomínio foi realizado de 15 a 23 de fevereiro. Os residentes nos edifícios Varandas e Up Life foram os que mais se sentiram prejudicados, pois era pela via entre os dois prédios que os ônibus acessavam o Shopping Recreio. Diante das reclamações, Nogueira e o administrador regional do Recreio, Marcus Ballestieri, foram à CET-Rio e a operação acabou temporariamente suspensa pela Secretaria municipal de Transportes.

— Estamos vendo uma proposta melhor, com calma. A tranquilidade voltou, porque os ônibus pararam de circular aqui dentro. Mas um terminal próximo do condomínio seria um serviço bacana. Mesmo porque andar até o Terreirão é perigoso — diz Nogueira.

Procurados, a operadora Expresso Recreio e o Shopping Recreio informaram que o ponto final voltou à Rua Guiomar Novaes com “o objetivo de manter o bem-estar dos moradores do Barra Bonita”. Os dois disseram que estudos continuam para que uma solução seja encontrada e que os ônibus não voltarão ao estacionamento do shopping enquanto a nova proposta não estiver pronta.

Se depender dos moradores, os ônibus não transitarão mais pelo condomínio. Para Sonia Lossio, moradora do Barra Bonita, o projeto “pulou a fase de planejamento e análise de impactos”:

— Não podemos chamar de projeto, e sim de tentativa e erro. O objetivo final, que é a satisfação do cliente, não estava sendo atendido. Não há espaço para circulação de veículos grandes nas ruas internas. O risco de atropelamento e acidentes era grande, assim como o transtorno na entrada e saída do condomínio.

Fernando Abdalla afirma que procurou o shopping mais de vez, em vão, para tentar reclamar. E lista outras queixas:

— A poluição nos apartamentos aumentou, já que os ônibus ficavam ligados o tempo todo para manter o ar-condicionado funcionando. Além disso, o portão do estacionamento do shopping só abre às 7h, mas eles começavam a chegar às 5h30m e já formavam uma fila aqui dentro.

 

*Notícia tirada de parte da matéria do jornal O Globo. Para ler na íntegra acesse o site do jornal.

Restinga praia do Recreio

Canteiros com replantio de restinga no Recreio sofrem com depredação

Secretaria de Meio Ambiente promete projeto de recuperação

Restinga praia do Recreio

Cercas do canteiro são derrubadas; e plantas, arrancadas – Fabio Rossi / Agência O Globo

 

O projeto de replantio de vegetação natural de restinga na orla da cidade, capitaneado pela Secretaria municipal de Meio Ambiente (Smac), não conta, muitas vezes, com um apoio essencial: o da população. Na Praia do Recreio, especialmente entre os postos 9 e 10, vários canteiros estão depredados. Moradores da região reclamam da falta de educação e de consciência de banhistas e quiosqueiros, bem como da ausência de fiscalização e de manutenção por parte do poder público.

Moradora do bairro, Nina di Masi afirma que a prefeitura tem sido mais eficiente na remoção de árvores do que na manutenção da restinga:

— Cercas são derrubadas; e a vegetação, arrancada. Muitas vezes são os próprios barraqueiros que fazem isso para facilitar a passagem das mercadorias.

A secretaria afirma que recebe muitas denúncias sobre o problema, mas que ele é “de difícil constatação”. A pasta também disse que um projeto de recuperação e enriquecimento do replantio já está pronto, aguardando recursos para implantação.

 

Fonte: O Globo

rio451-capa-bBonita

Rio 451 anos

20160229_Rio451_BarraBonita